Topo
SAMU

Samu registrou 364 atendimentos envolvendo acidentes motociclísticos em junho

O Samu prestou assistência, diretamente, em mais de 30 municípios, com 230 profissionais envolvidos, Unidades de Suporte Básico e Avançado, além das equipes de apoio

02/07/2019 18h46
Por: Redacao

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), unidade da Secretaria de Estado da Saúde (SES), avaliou o mês de junho como muito tranquilo e dentro da normalidade. O plano de contingência iniciou com a abertura dos festejos juninos, em 31 de maio, e o monitoramento foi feito nos 75 municípios sergipanos, além das rodovias municipais, estaduais, federais e região litorânea. Foram registrados, ao todo, 4790 atendimentos, 10% acima em relação aos outros meses do ano, que giram em torno de 4300 a 4500 atendimentos. O Samu prestou assistência, diretamente, em mais de 30 municípios, com 230 profissionais envolvidos, Unidades de Suporte Básico e Avançado, além das equipes de apoio.

Tanto o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), que recebeu os casos com maior complexidade, quanto aos Hospitais Regionais, foram parceiros, além da colaboração de hospitais da zona norte e da zona sul. O componente pré-hospitalar foi mantido e dos 4790 registros de atendimentos, 30% das ocorrências tiveram relação com causas externas, 1380 casos com 52 óbitos, e 70% de casos clínicos: obstetrícia, psiquiatria, pediatria, clínica médica. Em relação aos traumas, permaneceram em primeiro lugar os acidentes motociclísticos com 364 casos, em segundo ficaram as colisões automobilísticas, com 330 registros e em terceiro, uma novidade para a equipe do Samu, as quedas da própria altura, predominantemente por idosos acima de 65 anos, contabilizando 237 casos.

De acordo com a superintendente do Samu, Conceição Mendonça, neste ano de 2019 o monitoramento foi realizado durante todo o mês de junho e não apenas nos dias de festas como acontecia nos anos anteriores. De acordo com ela foi um projeto piloto. “Esse ano nós pretendemos fazer durante todo o mês para saber se junho, já que é o mês do São João em Sergipe, o que é que se manifesta, porque a gente sabe que queimaduras sempre têm no mês de junho, acidentes têm todos os meses, todos os dias, mas a gente queria observar se alguns fatores relacionados a causas externas e/ou mesmo causas clínicas, chamaria a atenção no mês de junho”, revelou

A superintendente informou, ainda, que os acidentes deste ano não aumentaram em relação ao ano passado, mas tiveram uma gravidade um pouco maior com duas situações de múltiplas vítimas e dois óbito registrados em cena. Com relação ao Forró Caju, segundo ela, foi muito tranquilo e sem nenhuma anormalidade. Não houve registro de nenhum caso alarmante, com 100% de resolutividade. Com relação ao Arraiá do Povo no posto médico avançado da Secretaria de Estado da Saúde, do dia 20 de junho até o dia 30, foram compilados 123 casos apenas, todos com 100% de resolutividade.

“Em um caso inédito, não foi registrado nenhum caso de etilismo crônico, ou seja, foi um São João super tranquilo onde o forrozeiro foi com a família para se divertir, para brincar e não tivemos casos que precisassem de remoção. A maioria das ocorrências, 82%, foram clínicos, ou seja, predominou a dor de cabeça, dor no estomago, dor de barriga e 18% de casos traumáticos como fazer um curativo, um calo, uma entorse no tornozelo, caso das meninas de bota, mas casos muito leves mesmo”, comentou Conceição

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias