Topo
VIOLÊNCIA INFANTIL

Esse ano, 121 crimes contra crianças e adolescentes foram registrados em SE

Entre os diversos tipos de violação está a pornografia infantil, com 11 casos em Sergipe até junho desse ano

27/09/2019 19h42
Por: Redacao
Fonte: Jornal da Cidade

Crianças e adolescentes no Brasil e em Sergipe estão na mira de criminosos. Até o ano de 2017 (período máximo que o Ministério dos Direitos Humanos possui estatísticas), 84.049 mil casos de violência praticado contra crianças e adolescentes foram registrados no país, entre negligências, violência psicológica, física, sexual, entre outras violações. Um aumento de 10,34% em comparação com o ano de 2016.

O Ministério dos Direitos Humanos chegou a traçar o perfil dessas crianças e adolescentes vitimadas, onde a maioria são meninas, correspondentes a 48% dos casos, enquanto os meninos representam 40%. Outro dado interessante é quanto ao local onde essas crianças e adolescentes sofrem a violência, sendo o principal local a própria casa delas. Em números gerais, no que concerne às denúncias de violência registradas por estado, Sergipe aparece em 10º lugar no ranking referente ao ano de 2017, com 1.538 denúncias, 19,22% a mais do que o ano de 2016, quando foram registradas 1.290 denúncias de violência em todo o estado.

Na última quarta-feira, 25, a Polícia Civil de Sergipe prendeu mais um suspeito de estuprar um adolescente de apenas 14 anos de idade, autista. Além de cometer o ato truculento, o suspeito identificado como Ricardo Silvino Santos, e outros dois comparsas, ainda filmou a cena, e o vídeo circulou em grupos de WhatsApp. Ainda esse ano, um estupro praticado contra uma criança de apenas 11 anos de idade dentro de uma cabine de banheiro de um supermercado localizado na capital sergipana, chocou toda a população. Esses são apenas dois dos crimes praticados contra crianças e adolescentes em Sergipe.

Em 2019, foram registrados no Estado, 121 crimes contra crianças e adolescentes, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP). Entre os tipos de violação, que são diversos, está o crime de fotografar ou filmar por qualquer meio, cena de sexo explícito envolvendo criança e adolescente, onde quatro crimes dessa esfera foram registrados esse ano em Sergipe. Além do crime de transmissão ou publicação em qualquer meio, de cena contendo sexo explícito envolvendo menor de 18 anos, onde foram sete casos registrados no estado esse ano.

Na planilha de violência contra criança e adolescente do Ministério dos Direitos Humanos, em 2016, o Brasil registrou 1.815 casos de pornografia infantil. O maior número foi em Natal, com 1.517 casos desse tipo de crime. Em Sergipe, em 2016 apenas um crime de pornografia infantil foi registrado, mas, com o passar dos anos, esse número cresceu, sendo em 2019, até junho desse ano, 11 casos no total.  

De acordo com a SSP, existem várias possibilidades de pornografia infantil conforme a legislação penal brasileira. A exemplo da produção, reprodução, direção, fotografia, filmagem ou registro por qualquer meio, de cena de sexo explícito ou pornográfico envolvendo criança ou adolescente. Assim como oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, distribuir, publicar ou divulgar por qualquer meio, inclusive por meio de sistema de informática ou telemático, fotografia, vídeo ou qualquer outro registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfico envolvendo menores de 18 anos, também é crime.

É proibida a simulação de participação da criança ou adolescente em cena de sexo explícito ou pornográfico, por meio de adulteração, montagem ou modificação de fotografia, vídeo ou qualquer outra forma de representação visual.

Ainda assim, os criminosos desse tipo de prática ilegal existem, e estão espalhados por todo o país. Por isso é tão importante a proteção à criança e ao adolescente. Uma investigação foi desencadeada pela Polícia Federal, intitulada “Luz na Infância”, e várias operações vem sendo realizadas há alguns anos, em diversos Estados do País. Inclusive, em Sergipe, nesta última quinta-feira, 26, um homem foi preso na cidade de Lagarto, suspeito de armazenar e divulgar material pornográfico infanto-juvenil. Foi detectado material pornográfico até mesmo no celular do suspeito. A polícia também apreendeu o computador dele.

A operação Luz na Infância já está na 5ª fase, com deflagração em 04 de setembro em 14 estados e no Distrito Federal, além de seis países. As ações são coordenadas pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, com participação da Polícia Federal e das Polícias Civis e agentes da lei dos países envolvidos. Na última operação, foram cumpridos 105 mandados de busca e apreensão de arquivos com conteúdo relacionado aos crimes de exploração sexual praticados contra crianças e adolescentes.

Para denunciar qualquer ato criminoso contra crianças e adolescentes, basta ligar no número 181.

 

|Reportagem: Laís de Melo

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias